:: Avós do Caetano compartilham vida de invenções e criações ::

Invenção, criatividade e imaginação são qualidades que nutrem a infância. No último dia 1 de novembro, Alexandre e Nívea, avós de Caetano Felice, compartilharam uma linda história sobre criatividade e inventividade com a turminha do GIII. Eles visitaram a Catavento acompanhados da filha Giovanna, mãe do Caetano. A atividade integra o Projeto “Eu Nasci Aqui”.

Durante a conversa, vovô Alexandre compartilhou a história de seu pai, Lorenzo, que inventou o chuveiro elétrico automático. E a vovó Nivea, que é artista plástica, criou com a turminha um prato com “carimbos” das mãos de cada um. Foi uma visita regada a muita imaginação!

Bisavô inventor

O bisavô de Caetano, Lorenzo Enrico Felice Lorenzetti, italiano, veio da cidade de Gênova no fim do século XIX. Seu pai, Alessandro Lorenzetti (tataravô do Caetano) já estava no Brasil. Ela era engenheiro civil e trabalhou nas obras do Porto de Vitória (ES) e da estrada de ferro Santos – Jundiaí (SP).

Em 1923, Alessandro Lorenzetti fundou uma pequena fábrica de parafusos. Após alguns meses do início das atividades da empresa, os filhos de Alessandro, Lorenzo e Eugênio chegaram ao Brasil e continuaram o trabalho iniciado por seu pai.

Lorenzo (bisavô de Caetano), chegava em casa cansado depois de um dia de trabalho, querendo um banho quente. Naquela época, se usava uma banheira, onde esquentavam a água e todos tomavam banho. Depois de cinco filhos e sua esposa se banharem, o banho sempre estava morno para Lorenzo. Um dia, ele resolveu inventar algo para que todos tomassem banho quente e na hora que quisessem. E foi assim que ele fez uma engenhoca que hoje é conhecida como chuveiro elétrico automático*.

Ele criou um chuveiro para ele, depois para o irmão, para o vizinho e assim decidiu fabricar o chuveiro em sua empresa de parafusos, que na época (era década de 50) também já fazia isqueiros, patins, interruptores e fusíveis.

Legado e homenagem

Alexandre, filho de Lorenzo e avô de Caetano, seguiu os passos do pai e juntamente com irmão e primos, administram a empresa Lorenzetti até hoje. A empresa tem 95 anos. E Caetano recebeu seu segundo nome (Felice) em homenagem ao bisavô Lorenzo Enrico Felice Lorenzetti.

Depois de conhecermos essa linda história, Caetano distribuiu aos amigos um chuveirinho infantil e todos adoraram a surpresa!

Criatividade

A Vovó Nívea também preparou uma surpresa para a turminha. Artista plástica, ela sempre gostou muito de pintar e fazer peças em cerâmica. Atualmente, dá aulas de pintura utilizando a técnica de baixo esmalte**.

Para compartilhar essa experiência com as crianças, a vovó Nívea trouxe pratinhos e seu material de trabalho e fez o carimbo das mãos de cada um(a) nos pratos. Ela explicou que levaria as peças para dar o acabamento final e colocar no forno e que depois cada um receberá o seu pratinho como uma lembrança dessa visita tão especial.

Saiba mais sobre o Projeto “Eu Nasci Aqui”.

Confira a galeria de imagens da visita.

* O chuveiro elétrico já existia, mas a cada banho era preciso ligar e desligar uma chave. Lorenzo Lorenzetti desenvolveu o chuveiro acionado pela força da própria água do banho.

** Na técnica de pintura em baixo esmalte, a peça é pintada com uma tinta à base de água e só depois ela é esmaltada. As peças vão ao forno em uma temperatura de aproximadamente 950° para fundir os esmaltes na cerâmica. As peças pintadas nesta técnica lembram cerâmicas antigas com desenhos e padrões contemporâneos.