Existe folclore no nosso bairro?

Crianças do G3 saem em atividade de pesquisa para explorar lendas e personagens populares entre pessoas de estabelecimentos localizados no entorno da escola.

Folclore. Sabedoria popular transmitida por tradição oral de geração para geração. Foi o que aprendemos com o Prof. Alberto Ikeda, no encontro que teve como objetivo apresentar o tema do projeto pedagógico da Escola Catavento em 2019 para a comunidade escolar.

Para mergulhar neste universo da sabedoria popular transmitida entre gerações e tendo em vista a exploração do território, no último dia 5 de abril, a turminha do G3 saiu em passeio pelo bairro de Perdizes para fazer uma pesquisa de campo em alguns estabelecimentos comerciais no bairro.  

As crianças foram acompanhadas pela professora Marieli e auxiliares da turma Gisele e Aline; além das diretoras Adélia e Luciana e do professor Rubens.

O objetivo era investigar qual lenda folclórica brasileira as pessoas mais gostavam, exercício que as crianças já haviam feito em entrevistas com os profissionais da Escola e também com seus familiares.

A primeira parada foi no restaurante “Sabor do Nordeste”, onde a turminha conversou com Dulce e Lázaro. Depois, foram até a “Lavanderia Paulo” e entrevistaram João. O terceiro lugar visitado foi a Douce Dila, loja de doces onde conversaram com Nati. Por fim, foi a vez do Chiquinho e da Deusa, que trabalham no “Chiquinho Bar e Espetinhos”. Todos os estabelecimentos ficam a poucos metros da Escola.

“Levamos um microfone de brinquedo para que a dinâmica ficasse ainda mais semelhante a uma entrevista, deixando assim o momento bastante lúdico”, comenta a professora Marieli. Ela explica que eles aproveitaram para observar o bairro, conhecer novas pessoas e se perceberem enquanto pedestres atravessando na faixa, atentando para o que acontecia ao redor. “Saímos da Escola para ocupar um pedacinho do bairro e entender que também fazemos parte dessa comunidade – além da familiar e a escolar”, explica a professora.

O próximo passo do projeto será em sala. O desafio é contabilizar e registrar em um gráfico qual o personagem mais citado em todas essas etapas da pesquisa sobre a lenda mais popular do folclore brasileiro.

Veja a galeria de imagens da atividade.