:: Turminha do G1 lembra do Curupira e se sensibiliza com corte de árvore na Escola ::

Professoras aproveitaram o episódio para aproximar o universo lúdico das lendas folclóricas ao cotidiano da Escola e conversar com os pequenos sobre o ocorrido.

Na semana passada, a Escola Catavento recebeu a ajuda do Corpo de Bombeiros para realizar o corte da árvore que fica no pátio da frente, ao lado do brinquedão. A árvore estava oca, muito velha e se decompondo, tomada por fungos e cupins. Com as fortes chuvas do último período, estava se tornando uma ameaça e sua queda poderia causar um grave acidente.

Os Bombeiros estiveram na escola para realizar o corte, e o processo de remoção da árvore chamou a atenção e despertou a curiosidade de uma turminha muito especial: o G1.

Como parte do projeto pedagógico deste ano sobre o Folclore, eles estão sendo apresentados ao Curupira pela professora Pamela e a auxiliar Maria. Ao perceber que os bombeiros estavam cortando a árvore, a turma ficou bastante atenta. Os pequenos se perguntaram por que os bombeiros estavam fazendo aquilo e argumentaram que o Curupira não iria gostar do que estava acontecendo, pois as árvores precisam ser protegidas.

“Após o corte da árvore, fomos até onde ela estava plantada, fiz uma roda e conversei com eles sobre o ocorrido”, relembra a Professora Pamela. Ela disse aos pequenos que a árvore estava estragada, correndo sério risco de cair e causar um acidente na Escola. “Expliquei que o corte aconteceu, porque os Bombeiros pediram a autorização do Curupira e lhe disseram o estado em que a árvore se encontrava. E que, ao escutar o pedido e a justificativa, o Curupira autorizou que a árvore fosse retirada dali”, explica Pamela.

A professora explica que misturou os fatos com um pouco de faz de conta para conversar com as crianças sobre o que estava acontecendo. No espaço em que a árvore estava, a Escola pensa em colocar areia para as crianças brincarem. O tanque já está sendo preparado.