Plantando um segundo semestre possível

Escola mandou para as famílias mudinhas de ervas e temperos para serem cultivadas pelas crianças. No segundo semestre, esta e outras iniciativas buscarão reativar a conexão dos alunos e alunas com o espaço da Catavento.

Findo o mês de julho – em que seguimos juntos(as) em uma temporada de férias de atividades e encontros remotos –, chega um agosto improvável: vamos “voltar às aulas” sem poder retomar as atividades presenciais na escola.

No mês de agosto, normalmente, retornamos entusiasmadas, renovadas por algum descanso, ansiosas pelos abraços saudosos e para ouvir as crianças compartilharem as novidades do período de férias.

Este será um agosto incomum. O desânimo pode se apresentar. Mas, mesmo diante de tanta incerteza e ainda sem uma definição sobre a retomada das atividades presenciais, a Catavento escolheu o caminho de cultivar junto com as crianças e suas famílias um segundo semestre possível e bom.

Na semana passada, as famílias receberam um comunicado apresentando uma “carta de intenções” da Escola para o próximo período. “Vamos buscar fortalecer a perspectiva do vínculo como prioridade e pensamos em novas estratégias pedagógicas e de manutenção da conexão entre a Escola e as crianças, inspiradas especialmente pela ideia de criar situações que remetam ao convívio e ao espaço escolar”, conta a diretora Luciana Morelli. 

 

Além de distribuir as jabuticabas da colheita realizada em julho (https://www.catavento.com.br/noticias/a-nossa-jabuticabeira-distribuindo-amor-e-alegria-em-tempos-dificeis), a Escola levou para cada aluno e aluna uma mudinha de erva ou tempero. As plantinhas devem ser cuidadas pelas crianças. A ideia é que elas possam integrar o Projeto Jardinagem (https://www.catavento.com.br/noticias/projeto-jardinagem-ganha-novas-ramificacoes-em-2020) e compor os canteiros da Catavento quando for possível estar de volta presencialmente na Escola.  

Confira outras ações que estão previstas para este semestre:

– Mostrar imagens da jabuticabeira após a colheita;

– Revisitar os espaços da Escola através de fotos e vídeos;

– Enviar imagens da Escola para promover a percepção das mudanças (especialmente o “antes” e o “depois” da reforma);

– Gravar e enviar para as crianças histórias contadas pelas professoras, de um local conhecido da Escola.

– Convidar as crianças para participarem remotamente da escolha dos livros para montar a biblioteca da sala;

– Propor ideias de produção simbólica;

– Criar a história maluca da semana;

– Brincar de correio;

– Fotografar.